sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Esmolas


Já perdi a conta das vezes que parei em um sinal e uma criança me pediu um trocado, seja jogando bolinhas no sinal ou querendo limpar o vidro do meu carro. No início meu coração apertava quando eu não tinha nem uma moeda para dar, achava que que aquele trocado ajudaria aquela criança. Mesmo pensando que talvez, aquele dinheiro poderia ser revertido na compra de drogas, eu acreditava estar fazendo a minha parte. Hoje vejo que eu estava completamente errada! Cada moeda que damos, incentiva a estadia daquelas crianças pedindo mais e mais moedas. Sem contar o fato de, na maioria das vezes, ter algum marmanjo escondido esperando aquele trocado, explorando aquelas crianças. E somos nós que incentivamos isso.
Se ninguém desse nenhum centavo, essas crianças não estariam nas ruas pedindo e em troca disso seus pais precisariam trabalhar para não morrerem de fome e talvez percebessem que ter filho não é uma fonte de renda pelo contrário, ter filhos trás muitas despesas.
Eu sei que é divagação da minha parte achar que o fato de não dar esmolas vai resolver o problemas dos pedintes. Sei que não é bem assim, mas cada um de nós precisamos fazer a nossa parte, que não é dar um trocadinho e sim negar a esmola.
E se houver uma oportunidade aconselhar aquela criança a estudar, pois isso sim é ajudar!




6 comentários:

xistosa disse...

Aqui em Portugal, são autênticas Mafias, que exploram as mulheres romenas nos sináis ou semáforos.
Escrevi isto:
Escrito em 14/07/2007 no UCOMETA

Como ontem era domingo, o habitual exército de romenas sem papeis, ilegais, mas com todas as jóias de prata, distribuidas ao livre arbítrio por entre as gengivas das bocas de pedir, que todos os dias fazem guarda pretoriana em locais estratégicos e semáforos vários que me conduzem a casa, esfumaram-se.
Nota-se que aproveitaram o dia livre, para sair a navegar, praticar top-less, no mais distinto clube náutico de regatas ou deglutir uma mariscada especial, aproveitando as jóias de prata que levam colocadas, não acreditando numa coisa ou noutra, ou mesmo noutra do além.
Para o caso é que se piraram as ilegais ou sem papeis do exército de romenas, de todas as idades e condição física, as grávidas e velhas, as descalças, alguma esquelética e alguma com muito má imagem e deixaram-nos os semáforos em paz por algumas horas.
Temos poupado assim um rosário de mãos estendidas, outro de pequenos batimentos nos vidros, uma insistência maratonista em sacar alguns euros e essa sensação pegajosa que te provoca, saber que poderiam estar num cruzeiro, pela Sicília ou Sardenha, ou vivendo dignamente nas suas terras e não andarem por aí, correndo o risco de uma insolação ou um atropelamento e com a dentadura de prata fervendo.
Que se lixem!
Como já são tantas e já é tanto o tempo que fizeram dos semáforos o seu doce lar e o seu local de trabalho, tanto mais que há que reconhecer, que as pobres têm a graça e a simpatia, (que a todos cativam), onde o vento as fustiga e o calor as cresta, o caso é que não vejo o próximo soltar um cêntimo, um chavo ou um cheque ao portador.
Assim é, que, as do exército romeno de romenas, quando as vês ás primeiras horas, têm cara de impacientes, mas quando as encontras no regresso, estão, que deitam fogo pela boca e raiva pelos olhos, fúria pelos gestos com que te chamam a atenção e gesticulam e, o rosto, em geral, de poucos amigos. E tu dizes para contigo:

- O que é que têm estes semáforos que não têm os outros?

E aguentas o temporal de calor e olhares assassinos, porque o melhor é que fosses tu ou eu, os que estamos ali cravados todo o dia, debaixo do sol, com as jóias de prata a trinta graus, entre poucos clientes que ainda estão sãos, todavia teríamos mais maus modos, menos paciência e piores intenções.

Hoje estarão aí de novo, cada uma com a foto de um rapazinho pequeno que têm de alimentar, que por certo é o mesmo rapazinho em todas as fotos!

Outro mistério.

Kath disse...

Campanha aderida.

Kath disse...

E lembro desse post do Xistosa. Foi uma das primeiras coisas que li no Ucometa.

Criptor disse...

Isso quando não são marmanjos que poderiam estar carregando sacos de cimento, ajudando em obras, trabalhando pesado mas ao invés disso estão nos sinais jogando bolinhas pro alto ou vendendo balinhas...
Abominável.

Zumbi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zumbi disse...

certa vez, minha mãe ofereceu um salário mínimo, para uma moça que pedia esmolas de casa em casa,trabalhar na limpeza la em casa. A moça disse que precisaria perguntar ao pai e na próxima semana daria a resposta a minha mãe.
Sabem qual foi a resposta?
- Meu pai disse que eu ganho mais do q um salário mínimo pedindo!

conclusão!
Pedinte eh uma ótima profissão!