sábado, 6 de outubro de 2007

Que Furo!

Fiquei toda animada quando recebi um e-mail de uma pessoa que admiro muito e é a grande responsável por este Blog existir. Fiquei mais animada ainda, quando recebi o convite para ir ao aniversário dela.
Como ainda não a conheço pessoalmente, combinei com um amigo(não vou falar mal dele, pois ele é o responsável pela minha escala de serviço... rsrsrs) que me apresentaria a moça.
Estava tudo certo, inclusive ele me pediu mil vezes para eu não furar. Combinei com meu namorado, que vendo minha empolgação deu muita força para esse encontro.
Por um momento, até pensei em desistir, pois estava muito cansada quando saí do trabalho, porém lembrei que eu não poderia perder aquela oportunidade e muito menos furar, afinal ele também estava muito empolgado.
Levei o carro para lavar, comprei uma lembrancinha, escolhi uma roupa legal, fiz aquela maquiagem, arrumei o cabelo, peguei o endereço e parti...
No caminho, querendo saber se ele já tinha identificado o local, passei um rádio:
- E aí! O Sr tá aonde?
- Hummm (nesse momento me deu um frio na barriga), não vou poder ir...
- Sério?
- Aconteceu um problema alheio a minha vontade, não vou poder mesmo!
- Mas e agora? Como vou saber quem é ela?
- É fácil, uma moça magra, alta, de cabelo preto e provavelmente cercada de gente dando parabéns...
Era uma "ótima" descrição... mesmo assim, não desisti. Corajosamente FUI!
Achamos o local, quando cheguei na porta, minha maior esperança era reconhecê-la... Mas como? Eu nunca tinha visto a moça!
Entrei.
Logo no primeiro andar a direita, tinha uma moça de cabelos pretos, magra e parecia ser alta, procurei um rapaz de cabelo claro (pois é assim que imagino o namorado dela), mas só tinha mulheres na mesa.
No segundo andar ao lado da escada, vi um mulher de cabelo preto, magra que estava recebendo um abraço, mas como ela não era tão alta...
Fui ao terceiro andar, vi duas moças altas, magras e de cabelo preto, inclusive, vi um rapaz de cabelo claro neste andar, mas no momento não estava ao lado de nenhuma das duas...
O que fazer?
Pensei em chegar nas "possibilidades" e perguntar:
-É você?
Mas aí já seria coragem demais...
Achei melhor ir embora...
Comecei a me sentir desconfortável, pois vi um grupinho de pessoas me olhando (eu devia estar agindo de forma estranha dentro do local)
Muito frustrada, eu e meu namorado saímos de lá com a sensação de missão não cumprida...
Como fiquei muito triste, ele tentou me animar, me levando para um passeio na Lagoa
Passeando por lá vi um grupo cantando parabéns para uma menina de cabelo preto.
Com olhos tristes pensei : Podia ser ela!
Droga!
Por que ela não cantou parabéns na hora que cheguei lá?
Decidimos comer em uma pizzaria, a única que ainda estava aberta não tinha mais pizza, porque lá houve comemoração de dois aniversários...
Hunf!
Como não tinha mais lugar aberto e sou uma boa "SEM TETO" , fiz um convite:
-Vamos comer um "podrão" ?
Ele riu e aceitou
Começamos a rir de nós mesmos! Como a gente iria achar a aniversariante?
Poderáimos ter usado um papel com um nome dela...
Ou poderíamos ter pedido para anunciarem no microfone...
rsrs
Era praticamente impossível!
A não ser que fossemos personagens de uma novela, e assim que eu adentrasse ao local, eu olhasse para ela, ela olhasse para mim, a música de fundo mudasse e perguntássemos ao mesmo tempo:
- É você?
Mas seria uma cena meio lésbica... né?
Rsrsrs

3 comentários:

Kath disse...

Seria uma cena linda!
Zu!!! Como assim perdeu sua viagem? Esperei tanto por vocês! Eu reconhece, devia ter mandando meu número de celular, vacilei...
Mas não desanima, eu ainda quero muito receber aquele abraço que teve que guardar no bolso. Feriado vem aí.
Beijos imensos!

xistosa disse...

Eu descobri-a, nem que tivesse de perguntar a toda a gente.
Não sei se moram longe, nem é assunto que me interesse a milhares de quilómetros de distância, mas eu DESCOBRI-A, mesmo sem saber se é gorda, magra, branca, mulata, mestiça, loira, ruiva e sei lá que mais.
Até senti um aperto no coração, aqui tão longe ...

Britinho disse...

Foi lastimável não ter ocorrido esse encontro, ainda mais vendo com estava anciosa a "sem teto"(minha namorada), que ficou rapidamente triste ao perceber que não encontraria sua "amiga virtual". Tentei animá-la, a levei para a Lagoa e não consegui, mas foi lá que decidimos comer uma pizza à lenha, então entramos no carro e partimos à procura, quando percebemos que já era tarde demais, não havia nenhuma pizzaria aberta. Tudo bem, aquele famoso "podrão" saciou nossa fome, mas não a vontade da "sem teto" encontrar a "kath". Tudo bem, oportunidades não faltarão, beijão momô.